Enlouquecendo a Leitora – July

30 de January, 2011 em Geral by Loucas Por Esmalte

A doida do mês é a July, só vou dizer uma coisa: senta que lá vem história! hahaha

Oi, sou a July, de Angola. Sou ariana (pensa em tooooodos os adjetivos para arianos. Pensou? Pronto, sou eu!), tenho 26 anos e vou fazer 27 no dia 27 de março (tô falando só pra receber parabéns depois…rsrsrsrs…). Sou advogada e há 11 meses estou morando em Angola. Moro com meu namorado (oi Rô o/) e trabalhamos numa empresa “coreana” de construção civil.

Embora esteja aqui há 11 meses, estou sempre com o coração apertado de saudade da minha família que está no Brasil, principalmente meus pais, meus irmãos e minhas sobrinhas. A cada 3 ou 4 meses saio de férias para o Brasil e nesse tempo tiro férias do LPE tbm, rs. Sempre digo que o LPE faz parte da minha vida, pois num momento difícil que passei aqui em Angola, conheci o blog, que me ajudou a distrair dos problemas. Isso foi em Maio/Junho, mais ou menos e, desde então, não larguei mais!!!

Cheguei a ser convidada para o evento da Aliança do Esmalte, mas, pra minha tristeza, não pude ir, pois no mesmo dia do evento eu estava era embarcando pro Brasil de férias… Mas a honra de ter sido convidada jamais foi esquecida e hoje, mesmo só falando pela net com as meninas e vendo a Zatz pessoalmente uma vez (pra pegar minha cestinha pink da Granado na Sumirê), tenho o maior carinho por elas… Esse carinho ainda será traduzido em esmaltes (toda vez que vou para o Brasil compro uns nas viagens e já até encomendei coreaninhos da Skin Food especialmente pra elas, mas nunca consigo colocar no correio… rs… Mas eles estão lá, reservados e sempre com um Kit Kat – renovado a cada ida pra não vencer, né! rs…).

Amo arte: música, literatura, pintura… Meu sonho era ser arqueóloga e restauradora… Fiz Direito pra ganhar dinheiro e deixar restauração como hobby. Me ferrei. Rs…
Gosto de tudo um pouco, mas tenho poucas coisas absolutas, que são: Rock, Raul Seixas, “O Dia do Coringa”, “Las Meninas” e Iguanas.

De resto (filmes, programas de TV, outros livros, outros quadros, outros animais) vou sempre mudando de opinião. Sou eclética demais, mas não deixo de ter bom gosto. Pra mim, é claro. Tudo isso é tão relativo… Acho que tudo e todos devem ter pelo menos uma chance…

Enfim, falo demais, mas adoro ouvir. Tô escrevendo demais pq a Bee deixou, mas numa conversa tet-a-tet sou tímida (a Zatz bem sabe…rs…) e acabo ouvindo mais do que falando. Até pegar intimidade, pelo menos.

Acho que essa introdução até que deu pra falar bastante coisa… Não vou abusar tanto e vou partir logo pras perguntas pq sei que elas tbm não vão sair pequenas…rsrsrs… Mas as meninas estão acostumadas aos meus comentários-livros (que eu competia com a Caroll, saudades) então imaginem me dar esse espaço de um post? UHauhauhauhauha….

– De onde surgiu esse interesse por esmaltes? Quantos você tem?
Acho que sou uma das poucas viciadas que não lembra exatamente a época em que surgiu o interesse em esmaltes… Lembro de há muuuuitos anos atrás ter comprado 2 Risqués (ou Impalas, sempre me confundo) perolados: Roxo e Amarelo. Usei muito… Até que venceram e meu pai usava pra pintar os casais de chave/cadeado que tínhamos em casa,uahauhauhauha. Um dos cadeados que uso na mala de viagem tá pintado com esse roxo, uhauhauhau. Mas sempre curti cores… De vez em quando comprava uma ou outra cor (usei muito Café, da Colorama), mas tinha um pouco de preguiça de pintar as unhas porque não sabia limpar os cantinhos.
Passei a ir em manicures depois de adulta, mas só quando tinha eventos especiais ou a cada 2 ou 3 meses para o trabalho, mas odiava ir ao salão porque minha cutícula, por ser quase virgem, era muito fina e as manicures sempre me machucavam…
Até que vim pra Angola… Comprei todo um arsenal (espátula, alicate, palitinhos, lixas…), mas por sorte conheci o LPE e, desde então, cuidei mais e bem melhor das unhas!
Porém, junto com o LPE veio o vício… Eu tinha trazido uns 20 esmaltes pra cá… 11 meses depois estou com uns 170! rs… No Brasil devo ter mais uns 100, 110, não sei exatamente. Dá pra ver que meu interesse por esmaltes quando era criança não chega nem perto do meu interesse hoje, né? Rs…

– A maior parte dos seus esmaltes é… (verde? azul? rosa? cremoso? cintilante? etc)
Não contei com exatidão, mas acho que tenho bastante rosas e azuis, muito embora AME roxo e tenha bastante deles… Já o acabamento, cremoso ganha sozinho, mas se juntarmos todas as outras categorias (cintilantes, glitters e afins) acho que fica pau a pau…

– Lembra quando foi que pintou a unha pela primeira vez? Tem algum esmalte muito antigo?
Hm… Primeeeeira vez foi quando eu era bem criança… Minha mãe não deixava sempre, mas lembro que ela tinha um esmalte de glitter prata e esse eu podia usar de veeeeeez em quando, só em ocasiões mega especiais… Não me lembro a marca… Mas eu lembro dele de quando eu tinha uns 6 ou 7 anos…
Agora o esmalte mais antigo que eu tenho, ACHO, que é um Maybelline cor de nada (se reparar bem, dá pra vê-lo decantado na foto do Brasil, rs). Isso porque quando vim para Angola (leia-se: antes desse vício todo) eu fiz a limpa no armarinho do banheiro e joguei muitos esmaltes vencidos fora: um glitter multicolorido da Sandy, um verde-água cremoso da Xuxa (ou Angélica, não lembro exatamente…), um verde-azulado com reflexos dourados (teal duochrome, como se fiz hoje em dia) maravilhoso, entre outros Coloramas clássicos (Areia, um da coleção millenium…), vários… uns 20! Fiquei só com alguns que não estavam vencidos e outros deixei pra minha mãe e minha irmã…

– Das marcas que conhece, quais são suas favoritas (nacional e importada).
Marcas nacionais favoritas: Colorama (pela facilidade de aplicação) e Impala (pela diversidade de cores desde há muito tempo). Recentemente tive a oportunidade de experimentar Hits e essa me conquistou também.
Já das importadas: Essie (qualidade e facilidade de aplicação), Revlon (motivos idênticos ao Essie) e The Skin Food (que, com muito peso no coração, não sei se consigo comprar mais pq minha “fornecedora” vai embora…).

Alguns esmaltes favoritos da July

– Lê outros blogs sobre o assunto?
O LPE leio e comento desde o princípio. Tive épocas que comentava que nem louca, mas agora não consigo mais… Sou mais comedida, rs… Mas acesso ele várias vezes por dia… Leio também outros blogs (Mão Feita, 9ml, Esmaltes da Ana e da Marcela, Esmaltes da Kika, entre outros). Desses, comento em poucos e só quando eu realmente tenho o que dizer… Aqui no LPE não, comento sem nem mesmo ter o que falar, nem que seja só pra dar oi pras meninas…rs…

– Gosta de nail art ou é mais “tradicional”?
Gosto sim, diboa, rs… Não uso muito, só quando tem algum evento (aqui fico meio que encarregada da parte das crianças, porque adooooro, e sempre que tem evento e elas vão, procuro fazer alguma unha divertida), mas quando não há eventos mas bate vontade, faço alguma coisinha nelas… Não é sempre, mas não me nego a fazer…

– O que nunca usaria?
Putz… Nunca digo nunca desde meu início do vício paguei minha língua várias vezes… Acho que até francesinha de atriz pornô eu usaria… rsrsrs… Talvez aqueles piercings de unha, como a Andrea falou no Enlouquecendo passado… Eu teria agonia e ia querer arrancar… Fora que furar a unha é bizarro…

– Quais são os hábitos das angolanas em relação às unhas? Já foi em algum salão? Elas possuem muitos produtos nacionais?

Demorei muito pra conseguir responder essa sem parecer crítica, preconceituosa e tal… Mas vou tentar…

Assim: elas pintam a unha, adoooram um cabelo (para apliques e alongamentos), super vaidosas! Mas a maioria não consegue fazer a manutenção sempre… A unha está pintada, mas muitas vezes descascada. No cabelo tem um aplique, mas já está antigo.
Acredito que isso seja pela grande diferença social aqui. Não existe classe média. Ou é muito rico, ou é muito pobre.

Para se ter uma noção, em 2010 Luanda foi considerada a cidade mais cara do mundo! Ou seja, não é fácil se manter impecável aqui… Infelizmente…

Além disso, há que se considerar o clima, o lugar em que a maioria mora, o tipo de trabalho que fazem (as mulheres, aqui, tirando as exceções – sempre – fazem praticamente tudo: cuidam da casa, dos filhos, dos maridos, carregam os pesos, os filhos – juntos, às vezes) já deveriam ser admiradas por, ao menos, manter um pouco da vaidade fazendo as unhas e arrumando os cabelos de vez em quando… Mesmo que não seja possível manter tudo tão perfeito…

Como elas conseguem carregar isso na cabeça?

Sei que era só pra falar dos hábitos, mas não tem como não contextualizar com o resto…

Enfim, voltando… Uma coisa que eu acho diferente aqui (e que ainda não consegui tirar uma foto – é muito difícil tirar foto do povo, na rua… todas as que tirei foram rápidas, quase sem foco, pois eles não gostam muito – e até hoje não sei exatamente pq…) são os “Manicuros de Rua“, como os chamo…

São homens que andam pra cima e pra baixo com uma caixinha de madeira que, de longe, parecem engraxates, mas quando vc olha bem é uma caixinha com uns 10 esmaltes e vários acessórios… Eles fazem as unhas da mulherada (principalmente nos pés) no meio da rua! Prometo que se um dia conseguir foto disso, mando pro LPE e peço pra elas mostrarem… É muito inusitado… Principalmente se considerarmos as questões de higiene e saúde… Afinal, os instrumentos não são esterilizados e a África é o continente com maior índice de AIDS… Complicado, né? Isso sem contarmos outros tipos de doença como hepatite, micose e outras… Além que deve ser estranhíssimo vc fazer a mão no meio da rua, por um homem! rs…

Mas, voltando à pergunta: ainda não fui em nenhum salão, até pq faço minhas unhas sozinhas. Mas uma mulher aqui já foi e adorou. Disse que era tudo limpinho, esterilizado e e tinham muitos esmaltes brazucas… Mas também era caro, se não me engano, a mão era USD 50,00. Sim, DÓLARES.

Já esmaltes nacionais (angolanos) não conheço, não… Nunca vi… Já achei pra vender esmaltes brasileiros, franceses, chineses, coreanos… Mas angolanos não. Até porque pouquíssimas coisas são produzidas aqui, a maioria é tudo importada (mais um motivo da cidade ser cara).

Ah! Mas uma coisa que achei aqui e que eu amo (principalmente por não ser tããããão caro assim – cerca de R$ 6,00) são os removedores Cutex. Olhem que lindos. Várias cores, tipos, cheiros… Além desses da foto já um verde tbm (que não lembro as propriedades específicas). Encontro numa mercearia aqui em frente e sempre que tem compro vários de uma vez, pois os estoques aqui não são regulares e calha de ficar meses sem um produto – então eu faço o meu estoque…rs…

Vários sabores!

– Tem alguma restrição em relação à marca, cor, formulação, etc?
Ainda não. Mas depois de ler essa sua pergunta comecei a cogitar sobre a questão de serem testados em animais. Acho interessante e importante!
Também não tenho alergia, ainda (medo!), mas depois do que andei lendo, sobre a probabilidade de desenvolvê-la, diminuí as vezes que trocava de esmalte e alterno com esmaltes hipo.

Quero muito agradecer ao LPE por fazer parte da minha vida! Se no começo era uma distração, hoje é uma paixão!!!

O legal é que tendo todo esse negócio com as unhas, a gente começa a se emperequetar mais, ligar mais para essas coisas de mulherzinha…rs…

E quero agradecer tbm pelo convite em participar do Enlouquecendo!!! Me senti muito honrada em aparecer no post e não só nos comentários…rsrsrs…

Beijos suas lindas!

A gente é que agradece por um enlouquecendo a leitora internacional, hahaha. Aproveitem bem a leitura dessa entrevista, porque o Enlouquecendo a Leitora só volta em MARÇO!

;*